Na Mídia


A Mostra Internacional de Cinema "Nossa Terra" Cultura e Alimentação na mídia:








E muito mais...


***

(Clique aqui)

***

(Clique aqui)

***

(Clique aqui)

***


***

(Clique aqui)

***

É-Cultura ao Vivo - 11/10/2017


 
(O apresentador fala da MIC Nossa Terra aos 12min e 42 seg deste vídeo)

***

(Clique aqui)

***

(Clique aqui)

*** 

(Clique aqui)

***

   

***

(Clique aqui)

***

(Clique aqui)

***

Oba Gastronomia, 04 de outubro de 2017 por Orlando Baumel.



A encantadora cidade de Bituruna no interior do Paraná, na região conhecida como Terra dos Pinheirais, recebe nos dias 14 e 15 de outubro a Mostra Internacional de Cinema “Nossa Terra”: Cultura e Alimentação.
Evento do Cultura in Company com curadoria da produtora cultural e blogueira Meg Mamede, o projeto já aprovado pela Lei Rouanet ainda não conseguiu captar recursos, mas será realizado num esforço conjunto com a Prefeitura Municipal de Bituruna, a Secretaria de Educação e Cultura do Município, o COMTUR, o COMSEA e diversos parceiros locais que desde o início abraçaram o projeto e resolveram realizar esta primeira edição para dar a conhecer importante proposta que tem a Cultura e a Alimentação por temas.
O evento que é totalmente gratuito exibe 6 filmes brasileiros e 1 produção Brasil-Chile e conta também com palestras e passeios turísticos pela Rota do Vinho biturunense. Todas as produções e palestras visam levar o público presente à reflexão sobre o futuro da alimentação no Brasil e no mundo. Mais que diversão, o cinema é um dos maiores aliados na difusão da informação além de ser um dos instrumentos mais democráticos e com maior acessibilidade dentre as linguagens artísticas que conhecemos. (leia mais)
***

Bem Paraná, 18 de setembro de 2017 por Simone Meirelles.

Filmes da Mostra Nossa Terra
A cidade de Bituruna, no interior do Paraná, será a sede da Mostra Internacional de Cinema “Nossa Terra – Cultura e Alimentação”. Os filmes, com foco em alimentação, serão exibidos de 14 a 15 de outubro, no anfiteatro da cidade.   O projeto, aprovado pela Lei Rouanet, é da produtora cultural e historiadora Meg Mamede.
Os filmes que farão parte desta primeira mostra têm em comum a alimentação através das várias etapas da cadeia produtiva, da agricultura familiar passando pelos demais processos até chegar a nossa mesa. A mostra deseja levar o público presente à reflexão sobre segurança e soberania alimentar nos dias atuais, além de debates acerca da fome no mundo, do uso de agrotóxicos e pesticidas, da obesidade infantil e uma série de temas que têm ganhado espaço nas produções cinematográficas nacionais e internacionais documentais e/ou de ficção.
A cidade de Bituruna, a 315 km de Curitiba, foi escolhida para receber este evento por conta da sua vocação natural para a produção de vinho, agricultura e negócios familiares voltados para a alimentação que inspira e estimula os atores locais em suas ações culturais e no turismo de experiência, na enogastronomia e preservação das suas riquezas naturais. Com população de cerca de 17 mil habitantes, o município de Bituruna não tem cinema. A prefeitura do município cedeu o Anfiteatro Romilde Vanzin, com capacidade para 190 pessoas, para receber a mostra. (leia mais)

***


Gazeta do Povo, 22 de maio de 2017 por Flávia Schiochet / Foto: André Rodrigues.



Tem projeto paranaense da Lei Rouanet em processo de captação: é a mostra de cinema de filmes sobre alimentação que a historiadora Meg Mamede, de Curitiba, quer viabilizar ainda em 2017. Com a Mostra Internacional de Cinema “Nossa Terra”: Cultura e Alimentação, Meg quer deslocar o centro do debate para outras paragens e fugir da saturada capital. O destino escolhido para a realização da primeira edição foi Bituruna, no Sul do Paraná, por ser uma cidade que mantém em seu cotidiano uma relação estreita com a produção de alimentos.


(Meg Mamede, historiadora e produtora cultural, está em processo de
captação  de verbas para uma mostra de cinema sobre alimentação
em Bituruna, interior do Paraná. Foto: André Rodrigues/Gazeta do Povo)


Meg conheceu Bituruna em 2014, quando esteve no município para uma mostra de fotos. “Na época, fui recebida por uma família descendente de italianos, da Rota dos Vinhos, com costume de produzir tudo o que consomem, como massas, vinhos. É do município essa relação com a alimentação, a maior parte trabalha na produção de alimentos, há produção de erva-mate, experiências com turismo rural e de experiência”, diz Meg. (leia mais)





***